Google+
24.jpg

Olhar externo para melhorar a intervenção do Projeto de incidência em rede

by @administracao on 02/04/2018

N o período de 21 a 27 de março, o Projeto ‘Organizações da sociedade civil do Nordeste incidindo sobre mecanismos de participação e controle social para a efetivação de políticas públicas’ recebeu a missão de monitoramento designada pela Delegação da União Europeia, na presença do consultor argentino Fernando Mercau, com a perspectiva de conhecer as ações desenvolvidas pelo Projeto executado pela Casa Pequeno Davi e a Rede de Educação Cidadã, nos estados da Paraíba e do Ceará, co-financiado pela União Europeia.

A missão compreendeu em reuniões com a equipe de coordenação de execução do projeto e educadores/as e visitas inloco às comunidades da Zona da Mata/PB em municípios de João Pessoa e Conde, com representantes de organizações sociais do meio rural e urbano, e na região da Borborema/PB, em Campina Grande, com representantes de grupos sociais dos meios rurais e urbanos da Borborema e do Sertão paraibano.

A equipe de coordenação do projeto considera que a missão cumpriu sua finalidade, dialogando de forma aberta e estruturante, estando presente nas diversas dimensões de ações do projeto. De acordo com Ronildo Monteiro, coordenador do Projeto, a missão foi muito exitosa em sua perspectiva e trajeto de reuniões, inclusive com a representação das organizações sociais.

“Constatou-se a desenvoltura das ações nas cinco regiões, três da PB e duas do CE, conforme programadas, realizadas de forma participativa e com uma avaliação confortável dos educadores/as, coordenação e participantes”, avalia Ronildo.

As reuniões com a representação das organizações sociais, autenticou as informações apresentadas no relatório intercalar 2017, de onze meses de execução do projeto, e no relatório financeiro; a presença da Rede de Educação Cidadã, como movimento social importante no contexto nacional adverso atual; e o equilíbrio de sinergias entre as organizações sociais que estão gerindo e executando o projeto.

Melhorar a intervenção

As formações sobre o Ciclo de Advocacy foram apontadas, por representantes das organizações, como fundamentais para ajudar a organização, bem como animar para continuar na luta. “As ações do projeto, de advocacy, ajudaram a nossa organização se animar a continuar lutando”. “O projeto deu uma força para que a juventude fosse reconhecida no assentamento”. São depoimentos que expressam e ratificam a importância das ações do projeto para o empoderamento das lideranças de segmentos sociais.
As ações do Projeto favorecem o entendimento por parte dos grupos e organizações sociais, da necessidade e importância de estarem revendo suas missões, objetivos, finalidades e sua presença como mobilizadoras de transformações sociais.

Outro ponto relevante proporcionado pela missão foi que colaborou com recomendações para a melhor intervenção do projeto nas realidades dos territórios onde atua. Considerando a importância de sistematizar as riquezas de informações que o Projeto está gerando através da atuação com diversos segmentos sociais (juventudes, assentados/as da reforma agrária, catadores/as de materiais recicláveis, quilombolas, mulheres e outros). A importância de ampliar parcerias, incluindo o segundo setor, o qual pode colaborar com iniciativas de sustentabilidade para as organizações sociais e de promover incidências políticas de abrangências territoriais mais amplas, ultrapassando as fronteiras locais, como incidências estaduais.

Em seu segundo ano de execução, dentre seus eixos, o Projeto compreende atividades de formação para a incidência política e realização do diagnóstico das organizações sociais, iniciativas para incidir, reivindicar direitos das populações envolvidas e gerar ânimos para organizações, em realidades de vulnerabilidades sociais, que estavam meio adormecidas em suas finalidades.

Previous post:

Google+