Google+
19.jpg

Plano de Intervenção para o Desenvolvimento da Infância

by @administracao on 05/11/2018

Projeto Ilha de Direitos lança Plano de Intervenção para o Desenvolvimento da Infância no Território da Ilha do Bispo


N esta quinta, 08, o Projeto Ilha de Direitos – Fase II: estratégias em Advocacy pela infância na Ilha do Bispo, em João Pessoa, lança o Plano de Intervenção para o Desenvolvimento da Infância no Território da Ilha do Bispo. O Projeto é desenvolvido pelo Instituto InterCement e executado pela Casa Pequeno Davi, em parceria com a Rede Amiga Socioassistencial Ilha do Bispo. O evento acontece, às 8h30, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Av. Rodrigues de Aquino, 37 – Centro.

O documento é reflexo da necessidade de se promover ações e políticas públicas que tragam um olhar mais direcionado para o desenvolvimento seguro e saudável das crianças, a fim de garantir direitos no que tange a sua segurança, educação, saúde, assistência, lazer e outras áreas. O presente plano partiu da construção coletiva e envolvimento de diversos públicos da comunidade, unidos por um único propósito: a efetivação de direitos para a infância no território da Ilha do Bispo, no município de João Pessoa, na Paraíba, Nordeste do Brasil.

De acordo a coordenadora do Projeto, Cristiane Cavalcanti a metodologia utilizada para a elaboração do Plano foi um diferencial porque envolveu um grupo focal, o qual ouviu 211 integrantes da comunidades, entre eles, grupos de adolescentes, jovens, adultos, gestantes, famílias, idosos, profissionais, igrejas e a Rede Amiga Ilha do Bispos.

“No entanto priorizamos o direito à participação ativa das crianças, sendo elas as verdadeiras protagonistas em pensar o plano, garantindo espaços para contribuição como seres sociais e políticos no exercício de sua cidadania”, disse Cristiane. E acrescentou que todas as propostas foram levantadas e sugeridas pelo grupo envolvido na construção, o olhar de quem vive e convive na comunidade junto as crianças foi fundamental para lançar ideias que possam efetivamente fazer valer os direitos e ampliar ações necessárias para o pleno desenvolvimento da infância na Ilha do Bispo.

“Todo processo partiu de um desejo, de uma vontade, de um projeto, e agora de um plano concreto em defesa da infância na comunidade da Ilha do Bispo”, concluiu a coordenadora.

Previous post:

Google+