Google+
15.jpg

Projeto propõe incidência nas políticas públicas no Nordeste

by @administracao on 11/05/2017

O cenário sócio-político e econômico atual se apresenta desafiador. Mas também se torna um estímulo às organizações da sociedade civil a se organizarem no sentido de buscar alternativas de melhorar esse contexto. Nessa perspectiva, a Casa Pequeno Davi está executando em parceria com a Rede de Educação Cidadã (Recid), a United Purpose (UP), a ONG Menina Feliz e o Instituto Frei Beda de Desenvolvimento Social (IFBDS) o projeto “Organizações da sociedade civil do Nordeste incidindo sobre mecanismos de participação e controle social para a efetivação de políticas públicas”, cofinanciado pela União Europeia.

Nesse momento adverso em que vivemos no país, o Projeto propõe reflexões nos grupos organizados da sociedade civil e nas populações locais onde o projeto atua nos Estados da PB e no CE, como: o exercício da democracia, sobre a importância dos espaços de participação social, através de conselhos de direitos, fóruns, redes e articulações sociais, de organizações e movimentos sociais; o fortalecimento das organizações, movimentos e redes sociais, para proporcionar a sociedade civil instrumentos, estratégias e mecanismos para continuar conquistando direitos e dignidade e enfrentando e superando as ameaças para a retirada dos direitos conquistados; o apoio as ações e mobilizações que pautam as reivindicações e o monitoramento de direitos da população mais vulnerável, através de incidência política.

O coordenador do Projeto, Ronildo Monteiro, destaca alguns potenciais das ações, especialmente pela abrangência geográfica. “O conjunto mobilizador, desde os focos de ação a abrangência geográfica do projeto, proporciona potencialidades, através de trocas de experiências entre organizações sociais situadas em sua maioria no semiárido brasileiro; e possibilidades de incidências conjuntas em níveis estadual e regional”, comenta Ronildo.

Abrangência e importância do trabalho em rede

Ao mesmo tempo em que os desafios estão postos, para a execução direta das ações, para que as conexões estabelecidas nos dois estados, em 44 municípios e cerca de 120 organizações sociais, produzam resultados para as populações locais onde se atuam, as parcerias se mostram como diferencial para o resultado do Projeto.
Para a ONG Menina Feliz, de Campina Grande, região da Borborema da Paraíba, uma das organizações envolvidas, o trabalho em rede faz toda a diferença.

“Constatamos tudo isto para dizer que o projeto chegou na hora certa, já da para perceber resultados positivos nos grupos e entidades que são acompanhadas. O trabalho em rede é dinâmico, animador e nos mostra horizontes, esta parceira nos motiva a ir atrás de outras fontes, outras vidas, outros perspectivas”, opina, Maria das Graças Santos, da coordenação da ONG.
Segundo ela, o momento atual não tem sido fácil e aponta algumas dificuldades. “O Brasil inteiro está passando por um momento difícil de retirada de direitos conquistados, não tem sido fácil permanecer com o funcionamento das atividades nas entidades por falta de recursos que afeta diretamente a autoestima de quem está desenvolvendo as atividades, como também das participantes”, relata.

E conclui falando da importância do trabalho em rede, apesar das fragilidades. “Percebemos algumas dificuldades na maioria das entidades acompanhadas, a falta de pessoal, poucas pessoas para assumirem muitas tarefas e ao mesmo tempo, tendo que buscar sua sobrevivência, em outros espaços. Mas nada que comprometa o desenvolvimento e sucesso das ações seja da organização seja do projeto, especialmente pelo trabalho em rede”, explica, Maria das Graças.

Para Gilson Lucena, o Centro Sul do Ceará, a RECID possui uma capilaridade de abrangência e atuação nacional que se dá em diferentes níveis, de acordo com os territórios. Neste recorte territorial, Paraíba e Ceará, se destacam por ainda continuar, mesmo que de forma reduzida, um processo de articulação e organicidade entre as instituições e educadores das suas regiões, mantendo um diálogo próximo junto aos grupos de base que tecem o seu todo. Daí a importância dessa parceria para a execução do Projeto.

“Além dessa capilaridade, o encontro das duas metodologias envolvidas nos processos de formação e articulação do Projeto, a Educação Popular Crítico-freireana e o Advocacy, figuram importante elemento que agrega valores político e metodológico a sua execução”, explica Gilson.

Previous post:

Next post:

Google+