Buscar
  • joelma633

Ciclo formativo em incidência política

Com base nos dados do diagnóstico realizado pelo Projeto Conhecer para Proteger: diagnóstico da situação da criança e do adolescente do município de João Pessoa, com recursos do Fundo do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de João Pessoa, com apoio do Itaú Social, a Casa Pequeno Davi iniciou um ciclo formativo para incidência política, no intuito de compreender o ciclo orçamentário e fortalecer ações que respondam às necessidades de crianças e adolescentes, em relação às políticas públicas.


O primeiro módulo "O papel dos CMDCAs" aconteceu na quarta (09), com o tema explanado por Cláudio Augusto, do Rio de Janeiro, uma referência na política de criança e adolescente, que discutiu sobre a Criação, funcionamento e papel do CMDCA. Cláudio Augusto tem experiência nas três esferas municipal, estadual e federal porque já foi do CMDCA, do CEDCA e do CONANDA.


Na programação as presenças de Frederic Barbotin, representando a ESSOR, organização parceira desse primeiro módulo, organização que também desenvolve iniciativas de diagnósticos em municípios da Paraíba e do Ceará; Augusto Souza, oficial de proteção do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF); Célia Domiciano, vice presidenta do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente da Paraíba (CEDCA-PB); a promotora Drª Juliana Couto, do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Defesa da Criança, do Adolescente e da Educação; Michelle Madruga, presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de João Pessoa (CMDCA/JP); Nijda Rayla, representando a Comissão de Participação de Adolescentes (CPA).

Cláudio Augusto, facilitador do I módulo.

O primeiro módulo contou com a participação de 170 profissionais de áreas distintas de secretarias municipais, conselheiros tutelares, conselheiros de direitos, organizações não governamentais de vários municípios paraibanos e cearenses.





Os demais módulos, em data a serem definidas e divulgadas, vão tratar de questões como o fortalecimento das redes e do Sistema de Garantia de Direitos; o ciclo orçamentário e incidência política.


Para Roberta Chaves, que coordenou o Projeto, o objetivo do ciclo formativo é fortalecer o processo para incidência política. Não deixar os dados levantados no diagnóstico se perderem; usar os dados e aprofundar as fragilidades apontadas para fazer uma incidência qualificada.

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo